Ótica Exótica

Cuidados

Atenção dos pais com a saúde ocular dos filhos

Você sabia que as doenças oculares mais comuns aparecem durante a infância?

É nos primeiros anos de vida que se começa a descobrir o mundo e o universo ao redor. Para uma criança tudo é diferente e causa curiosidade, mas elas ainda não sabem discernir se está tudo certo com o que estão enxergando ou não e somente com muita atenção dos pais e consultas periódicas com um oftalmologista é que se pode descobrir desde cedo uma possível doença.

 

Saúde ocular de acordo com a idade:

Cada fase da criança é representada por momentos e necessidades diferentes e alguns cuidados com a saúde de seus olhos devem ser tomados em cada uma delas.

1- Recém-nascidos: podendo nascer com a saúde ocular afetada, os recém-nascidos devem começar a ser examinados ainda na sala de parto, passando por exames e procedimentos para identificar ou evitar qualquer possível dano, sendo que toda a córnea do bebê deve ser analisada com cuidado e atenção.

2- Fase pré-escolar: os primeiros problemas de baixa acuidade visual são na maioria identificados nessa fase, onde a criança começa a apresentar sinais e sintomas típicos do problema. Outras doenças como o estrabismo, conjuntivite e ambliopia (olho preguiçoso) também podem aparecer nesse período.

3- Fase escolar e adolescência: com o início dos estudos a visão passa a ser mais solicitada e o esforço visual é maior, podendo apresentar alterações. Está é uma fase muito importante de acompanhamento com o oftalmologista.

 

Identificando alterações oculares:

Dificilmente a criança irá reclamar de algum problema ou incômodo com sua visão, principalmente se possuem o problema desde os primeiros meses de vida, não sabendo definir se aquilo é normal ou não.

Mas, existem algumas dicas simples de como se atentar e prevenir possíveis doenças. Veja a seguir:

1- Faça visitas regulares ao oftalmologista: mesmo que a criança não apresente nenhum sintoma ou dificuldade, é de extrema importância o acompanhamento regular de um profissional. 

Logo após o nascimento, são realizados testes de visão para identificar possíveis alterações e problemas no olho do recém-nascido, mas as consultas não devem parar por aí! A cada fase da criança, é exigido cada vez mais da visão, assim sendo indicados exames de rotinas anualmente.

Lembrando que, quanto mais cedo for identificado o problema, mais fácil e possível são as chances de tratamento e cura.

2- Problemas de leitura e dores de cabeça frequentes: a forma mais frequente de identificação que a criança possui problemas oculares é através da leitura e queixas de dores de cabeça.

Na fase escolar, atente-se às dificuldades que a criança apresenta para enxergar a lousa na escola, placas na rua, livros e o que mais puder ler. Vale a pena verificar com a escola se a criança está apresentando dificuldades durante as aulas.

Além das dores de cabeças frequentes, outros sintomas identificados podem ser: sensibilidade à luz e frequente coceira nos olhos, vermelhidão, secreções e lacrimejamento constante.

3- Distância entre telas, monitores e livros: observar o comportamento da criança em frente a TV, computadores e livros pode ser um ótimo indício de que é necessário fazer um check-up com um oftalmologista. Estar muito próximo aos objetos ou acompanhar a leitura com os dedos, são indicadores de uma possível má visão.

 

Lembrando que,  na presença de qualquer um dos sintomas é indicado a procura de um médico.

 

Prevenção e cuidados com a saúde ocular: 
Claro que nada substitui a consulta e acompanhamento de um especialista periodicamente, mas ainda assim há alguns cuidados que podem ser tomados diariamente para prevenir possíveis doenças oculares e até mesmo melhorar a acuidade visual.

Veja abaixo 6 cuidados diários e dicas que deverão fazer parte da rotina da criança:

1- Higienização das mãos: durante a rotina diária, a criança fica exposta a um grande número de bactérias e germes e inconsequentemente leva as mãos sujas aos olhos, podendo ocasionar uma irritação, conjuntivite ou até mesmo uma doença mais grave. É importante que os pais sempre estimulem as crianças a lavarem as mãos sempre após brincarem, chegarem em casa, antes e depois das refeições, entre outros. Torne a higienização das mãos um hábito comum e rotineiro.

2- Tempo de uso de celulares e computadores: os olhos das crianças ainda estão em desenvolvimento, sendo assim, não possuem os pigmentos necessários que ajudam a filtrar os danos causados pela luz azul que é emitida pelo LED de telas de celulares, computadores e outros dispositivos digitais. A alta exposição tornará o olho cansado, diminuindo a produção de lágrimas, e ainda poderá ocasionar uma baixa acuidade visual. Com a introdução da tecnologia na rotina infantil, seja nos estudos ou momentos de lazer, a atenção ao tempo de exposição deve ser redobrada, tomando sempre cuidado para não deixar a criança exposta todos os dias. Uma ótima dica é estimular a criança a brincar ao ar livre, assim deixando de lado os dispositivos. Na Exótica, você encontra diversos tratamentos usados para evitar esses efeitos danosos, são filtros colocados nas lentes que barram essa luz prejudicial. Exemplo: Prevencia (Essilor), Blue Control (Hoya) e Blue Protect (Qualy Lentes).

3- Ofereça uma alimentação saudável: uma boa alimentação pode ser a chave para a prevenção e cura de muitas possíveis doenças, inclusive as oculares. Mantenha um cardápio regrado, sempre oferecendo alimentos ricos em vitaminas e nutrientes. Dos alimentos que estão inclusos na lista para cuidados com os olhos, podemos citar:

  • Peixes: ajudam na circulação sanguínea. Dê preferência para sardinha, bacalhau, salmão e atum;
  • Frutas, verduras e legumes de coloração amarela: previnem a deterioração da mácula e nos permitem enxergar cores;
  • Alho e cebola: contribuem para dilatação dos vasos sanguíneos e diminuem a pressão arterial, assim diminuindo a possibilidade de ter glaucoma;
  • Frutas vermelhas e roxas: previnem a perda de visão e da mácula.

Vale dizer que, qualquer pessoa, independente da idade, pode incluir esses alimentos em sua dieta diária, apenas se atentando à possíveis restrições alimentares.

4- Cuidado durante a prática de esportes: a maioria dos pais engana-se ao pensar que o único esporte que precisa de proteção para os olhos é a natação. Outros esportes que envolvam bolas e rodas (bicicleta, por exemplo), podem ocasionar descolamento de retina, assim é recomendado sempre o uso de equipamentos de proteção.

5- Faça questionamentos: a melhor forma de saber se a criança está tendo algum problema ocular é perguntando. Questione sobre possíveis desconfortos e procure um médico sempre que necessário. Outra dica é observar os comportamentos da criança, cerrar os olhos para focar em algo, por exemplo, pode ser um primeiro sinal de miopia.

6- Uso de óculos: às vezes, mesmo prestando atenção com todas as ações preventivas e acompanhamentos regulares ao médico, a criança ainda assim precisa de um auxílio para a melhora de sua visão e é aí que entram os óculos.

Nessa fase, é importante o apoio e estímulo dos pais para que a criança use os óculos de forma adequada, não deixando com que a visão seja ainda mais prejudicada.

Hoje, o mercado oferece inúmeras opções de formatos, cores e materiais. Procure um modelo confortável para a criança e ao mesmo tempo que seja algo que ela goste e sinta-se bem usando.

 

Quer saber mais sobre as diferenças de modelos e materiais de óculos e encontrar o mais adequado para seu filho? Visite uma de nossas lojas! Estamos em Americana, Capivari, Nova Odessa e Santa Bárbara d’Oeste.

Tem sempre uma exótica perto de você
A Exótica está presente em diversas cidades. Escolha abaixo a mais perto de você!